Pilotos de Enduro de Regularidade divulgam Manifesto

Reunião da Comissão de Pilotos com o presidente da CBM Firmo Alves e o Diretor de Regularidade Alfredo Miranda - Crédito: Janjão Santiago

Reunião da Comissão de Pilotos com o presidente da CBM Firmo Alves e o Diretor de Regularidade Alfredo Miranda – Crédito: Janjão Santiago

Os pilotos de Enduro de Regularidade divulgaram, nesta sexta-feira, 4 de Dezembro, um manifesto contra a forma como a modalidade vem sendo conduzida pela CBM – Confederação Brasileira de Motociclismo. Segundo os próprios pilotos, há tempos eles vem tentando participar mais ativamente da elaboração do Regulamento da modalidade e participar da criação do calendário, sem êxito.

Uma comissão de pilotos chegou a se reunir com o presidente da CBM, Firmo Alves, e com o Diretor da modalidade, Alfredo Miranda, no mês de Abril, durante o Rally Transbahia (foto acima).

“Conversamos com os representantes dos pilotos com o intuito de melhorar ainda mais o Campeonato. Nosso objetivo é aumentar cada vez mais o nível da competição, pois a modalidade tem grande representatividade no Brasil. Ouvimos as reivindicações dos pilotos e vamos procurar atender às solicitações. A CBM está disposta a fazer o que for possível para elevar o motociclismo brasileiro”, declarou o presidente Firmo Alves na época.

Reivindicação feita pelos pilotos no início de 2014 - Clique para Ampliar

Reivindicação feita pelos pilotos no início de 2014 – Clique para Ampliar

Antes disso, os pilotos já haviam tido alguns problemas e chegaram a se mobilizar, como foi o caso do Piocerá de 2014, onde soltaram um “abaixo-assinado” (foto ao lado). Por dois anos consecutivos a CBM é obrigada a soltar, durante o andamento do campeonato, adendos ao regulamento.

A primeira medida anunciada é o não comparecimento na primeira prova do ano, o Cerapió (até a tarde desta sexta apenas dois pilotos haviam se inscrito na Categoria Master, segundo informações do site oficial) – os pilotos são contra o início do campeonato no mês de janeiro.

As principais reivindicações dos pilotos são:

– A participação na elaboração do Regulamento do Campeonato Brasileiro de Enduro de Regularidade.
– Que sejam ouvidos na elaboração do calendário.
– Que seja criada uma comissão de pilotos para atuar junto às direções de prova sermos no mínimo ouvidos.
– Que os valores de inscrições sejam padronizados.
– Que o início do campeonato seja em Março.
– Melhorias para o calendário de 2016 que já foi divulgado, como duas etapas no mês de Abril “ao nosso ver, inviável, sendo uma prova com um alto custo para todos os pilotos e equipes”.
– A não inclusão de provas com mais de 2 dias no calendário, pois isso acarreta um alto custo no campeonato para os pilotos. Nenhuma outra modalidade tem esse tipo de prova e concluímos  que com isso muitos pilotos deixam de participar do campeonato brasileiro de enduro se regularidade.

 

Confira o Manifesto na íntegra:

Manifesto em favor do Campeonato Brasileiro de Enduro de Regularidade.

Nós, pilotos filiados à Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM, vimos manifestar publicamente nosso total descontentamento pela forma como vem sendo, já por alguns anos, conduzido o Campeonato Brasileiro de Enduro de Regularidade por parte da Confederação Brasileira de Motociclismo.

Repudiamos, de forma veemente, as tentativas autoritárias de decisão sem ao menos uma consulta aos pilotos, e sem que nossas sugestões sejam no mínimo analisadas para a melhoria do campeonato.

Sabemos que não somos os donos da verdade, mas sabemos também que não podemos mais ficar omissos, aceitando decisões que nos são impostas e que não concordamos. Por esse motivo, decidimos nos unir e agir todos juntos, por mudanças que julgamos ser essenciais para a nossa modalidade.

A Confederação Brasileira de Motociclismo deveria ter como principal objetivo a defesa de seus associados. Porém, não é o que vem ocorrendo nesta modalidade nos últimos tempos. Já por diversas vezes tentamos, de todas as formas, que fôssemos ouvidos pela Diretoria de Enduro. São gritantes as falhas na condução da modalidade, seja na comunicação com os pilotos, no não atendimento às nossas solicitações, na falta de diálogo contínuo, na falta de coerência e até na falta de critério na tomada de decisões.

Tentamos ser ouvidos pelo presidente da entidade, Sr Firmo Henrique Alves, que até recebeu uma comissão de pilotos por ocasião do Rally Transbahia. Mas, foram apenas palavras ao vento, já que nenhuma decisão concreta foi tomada com base em nossas solicitações.

Salientamos que o principal objetivo deste manifesto é chamar a atenção de todos para os problemas que temos enfrentado na nossa modalidade, e que o mesmo sirva de instrumento para que tenhamos garantidos a nossa participação nas decisões, que hoje nos são impostas.

Somos os principais interessados no crescimento e fortalecimento da modalidade.

Como primeira medida fica definido em caráter irrevogável, pela não participação na primeira prova do Campeonato Brasileiro de 2016 que será realizado em Janeiro.

Longe de ser um simples boicote, a decisão é uma forma de mostrar a CBM, a mídia e a todos os envolvidos e interessados, que estamos unidos e que lutaremos até o fim para que nossas reivindicações e sugestões sejam atendidas.

Essa decisão vem demonstrar a união dos pilotos e a seriedade deste manifesto.

A decisão pela não participação na primeira prova do Campeonato se deve a vários fatores – isso já foi discutido e questionado com o Diretor da modalidade e com presidente da CBM.

Cremos que um campeonato não pode começar no mês de janeiro, quando muitos pilotos ainda não têm definidos seus patrocínios e nem os novos equipamentos disponibilizados e prontos para a temporada.

Salientamos ainda que nesta etapa de abertura, em específico, já solicitamos por diversas vezes alterações/melhorias na prova e sempre fomos ignorados. Que por dois anos consecutivos temos tido problemas de diversos tipos.

Queremos agora, a partir dessa primeira medida, ter as nossas sugestões e solicitações ouvidas e que as decisões sejam tomadas de forma democrática, através do voto, como já é feito em outras modalidades, onde quem decide o que é melhor são os pilotos, equipes, organizadores de provas e Diretoria da modalidade, de forma igualitária e com os votos de cada um tendo o mesmo peso.

O que solicitamos na verdade é que seja feita uma reunião entre todos ao final de cada temporada, seja na penúltima ou na última prova, para que o calendário, regulamento e demais pontos a respeito da próxima temporada sejam decididos de forma democrática, e não ditatorial, imposta de cima para baixo.

Precisamos urgentemente de atualizações no regulamento que tornem as decisões uniformes.

Precisamos estipular um valor de inscrição para cada etapa do Campeonato Brasileiro. O Campeonato não pode ter provas de três, quatro, cinco ou mais dias, ainda que só duas sejam válidas pelo Campeonato.

Precisamos decidir em conjunto o calendário, bem como as datas de início e fim do mesmo.

Duas provas do Campeonato dentro de um mesmo mês, fica inviável para a maioria dos pilotos que tem que arcar com seus próprios custos.

A final do campeonato no mês de setembro, no Mato Grosso do Sul e próximo a grandes provas como o Enduro da Independência e Rally dos Sertões, é algo que nos pilotos e protagonistas, não podemos concordar.

Precisamos decidir as provas que devem compor o calendário, que tenham um nível mínimo de qualidade técnica para que seja válida como etapa de um campeonato Brasileiro.

As nossas solicitações são em prol do fortalecimento e do crescimento da nossa modalidade e pensando na maioria dos pilotos.

Principais Solicitações dos Pilotos:

– Que possamos participar da elaboração do Regulamento do Campeonato Brasileiro de Enduro de Regularidade.

– Que sejamos ouvidos na elaboração do calendário.

– Que seja criada uma comissão de pilotos para atuar junto às direções de prova sermos no mínimo ouvidos.

– Que os valores de inscrições sejam padronizados.

– Que o início do campeonato seja em Março.

– Melhorias para o calendário de 2016 já divulgados. Como: duas etapas no mês de Abril ao nosso ver, inviável, sendo uma prova com um alto custo para todos os pilotos e equipes.

– A não inclusão de provas com mais de 2 dias no calendário, pois isso acarreta um alto custo no campeonato para os pilotos. Nenhuma outra modalidade tem esse tipo de prova e concluímos  que com isso muitos pilotos deixam de participar do campeonato brasileiro de enduro se regularidade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s