Briga Boa: Enduro dos Ipês decidido nos centésimos de segundos!

Ipes 005

Foto: Marcelo Campos

 

O Campeonato Mineiro de Enduro teve novas disputas no último final de semana na cidade de Lavras. O Enduro dos Ipês, reconhecido como uma das mais bem organizadas provas do país, tem um grande número de trilhas de alto nível técnico. Por isso mesmo, contou com a presença de pilotos que estão disputando o Campeonato Brasileiro e usaram a prova como treino, além dos pilotos que normalmente disputam o campeonato mineiro, claro. Estavam por lá o norte-americano Ian Blythe e o capixaba Bruno Crivilin, da Equipe Orange BH KTM Racing, Bruno Martins, do Zanol Team Rinaldi/ASW, que usou a prova como treino com a 250cc, já que corre o brasileiro na E4, com uma 230cc. Além deles, Vinicius Luis Lopes, também do Zanol Team, Ripi Galileu, da 3R/Rinaldi, Reinaldo Almeida, da Edgers Racing, Evandro Bozetti, da Motofield/Honda, dentre outros, também registraram presença.

Cross Teste Quedas do Rio Bonito - Crédito: Marcelo Campos

Cross Teste Quedas do Rio Bonito – Crédito: Marcelo Campos

A belíssima estrutura montada no Parque Quedas do Rio Bonito chamou a atenção e o Cross Teste montado no local fez a alegria do público e das equipes de apoio, que puderam acompanhar de perto os pilotos acelerando, quando, às dez da manhã, largaram para as três voltas da prova. O percurso total tinha de cerca de cem quilômetros, e era praticamente só de trilhas, com os pilotos enfrentando muitos obstáculos e pedras.

Cada volta contava com três especiais, o Cross Teste Quedas do Rio Bonito, que foi válido já na primeira volta, o Enduro Teste do Palitinho e o Enduro Teste da Pedra Branca, válidos na segunda e terceira voltas. E ao final da terceira volta, mais uma vez os pilotos tinham que enfrentar o Cross Teste.

Lúcio Ribeiro mais uma vez foi impecável na organização - Crédito: Marcelo Campos

Lúcio Ribeiro mais uma vez foi impecável na organização – Crédito: Marcelo Campos

A disputa pela Geral foi praticamente entre os pilotos da Orange, entre Bruno Crivilin e Ian Blythe. Enquanto o americano se dava melhor no Cross Teste, vencendo 3 dos 4 válidos, Bruno Crivilin tentava descontar nos Enduro Testes, invertendo o placar – dessa vez ele que venceu 3 dos quatro válidos. Das oito especiais válidas, 4 vitórias para cada um. Mas como no Enduro o que conta não é a quantidade de especiais vencidas, e sim o tempo acumulado total, somando-se todas as especiais, a briga ainda foi mais acirrada.

Bruno saiu na frente já na primeira volta, já que venceu a primeira passagem no Cross Teste, com vantagem para Ian de menos de dois segundos (1s88). Na segunda volta, Ian assumiu a liderança, colocando 2s27 de vantagem no Cross Teste em cima de Crivilin. Mas quando chegou nas trilhas Crivilin voltou a assumir a liderança no tempo acumulado, até porque Ian teve problemas no ET da Pedra Branca, ficando 15s69 atrás de Crivilin.

Na terceira volta foi a vez de Crivilin ter problemas no Enduro Teste do Pailitinho, ficando 16s62 atrás de Ian. A competição continuou embolada e no Et da Pedra Branca Bruno conseguiu abrir um pouco, sendo 7s46 mais rápido que Ian Blythe. E foram pra última especial do dia, o CT Quedas do Rio Bonito, onde Ian estava andando mais que Crivilin. Ian venceu a especial, com uma vantagem de 6s42 para Bruno Crivilin.

Na soma dos resultados, vitória por um fio de cabelo! Crivilin fez o tempo acumulado total de 28m14s44, contra 28m15s01 do americano Ian Blythe. Vitória de Bruno Crivilin por míseros 57 centésimos de segundo!

Na terceira colocação na Classificação Geral terminou Bruno Martins, que chegou a se meter entre os dois em algumas especiais com a CRF 250, que não é a que está acostumado, pois corre o brasileiro de 230. Ripi Galileu foi o quarto colocado em na quinta colocação o piloto Wanderson Tesourinha Andrade, que andou muito com sua CRF 230.

Crédito: Janjão Santiago

Crédito: Janjão Santiago

“Foi minha primeira participação no Campeonato Mineiro, não podia perder a prova de Lavras, terra do grande amigo Tunico Maciel. A prova aqui é conhecida pelo alto nível das trilhas e da organização, todo mundo fala que o Lucio capricha nas provas, e pude conferir isso, a prova foi fantástica, cerca de 90% do percurso em trilhas com nível técnico muito alto. E achei a prova melhor ainda porque venci minha categoria e a geral, onde tive uma bela disputa com meu companheiro de equipe, o americano Ian Blythe” comemorou Bruno Crivilin.

Blythe, apesar de não ter vencido, também saiu bastante satisfeito ao final da prova, tanto pelas trilhas como pela disputa com o companheiro de Equipe.

Ian Blythe - 02

Crédito: Janjão Santiago

“A disputa entre nós foi bastante saudável, hora eu batia o Bruno, hora ele me batia. As especiais foram bastante divertidas e não arriscamos muito, pois a etapa serviu de treino para nós, não estamos acompanhando o Campeonato todo e o Bruno é filiado no Espírito Santo, também não marca pontos aqui”, disse o americano.

Ian Blythe ficou em segundo na Geral e venceu na sua categoria, a E1. Bruno “Batateiro” Batistaficou em segundo e o terceiro colocado foi Frederico Geraldo de Prados.

Na categoria E2 o vencedor foi o piloto da cidade de Turmalina, Luiz Carlos (Transcar/Edgers), seguido por Regis Andrade, da cidade de Prados, e na terceira colocação Thiago de Souza.

Wanderson Tesourinha Andrade venceu a E4 e foi 5° na Geral - Crédito: Marcelo Campos

Wanderson Tesourinha Andrade venceu a E4 e foi 5° na Geral – Crédito: Marcelo Campos

Na E3 o campeão foi o piloto Ripi Galileu (KTM – 3R Motos – Rinaldi), com Vinicius Batista na segunda colocação, ambos da cidade de Barão de Cocais.

Na Categoria EJ o vencedor foi Bruno Crivilin. Vinícius Luís Lopes, piloto de Arcos (Zanol Team ASW/Rinaldi) foi o segundo colocado e Eduardo Souza, de Barão de Cocais, foi o terceiro.

Gustavo Sena venceu na categoria E35, seguido por Reinaldo Almeida, da Edgers Racing. Na E45 o vencedor foi Ernesto Maiolini, seguido por Evando Bozetti, da Equipe Motofield Honda. Júlio Cesar Lemos foi o terceiro colocado.

Na E4, para motos até 19cv e motos nacionais, o vencedor foi Wanderson Tesourinha Andrade, seguido por Victor Camargo Miranda e Daniel Cabral.

Daniel Gomide venceu a categoria Regional Importada, Julio Andrade venceu a Regional Nacional e Paulo Cesar Oliveira venceu a categoria “Bocaina”. Essas categorias foram criadas como forma de incentivar os pilotos da região a atrair mais adeptos para o esporte.

Confira o resultado completo:

Resultado Individual de cada Piloto (Performance – Lavras FIM)

Resultado_por Categoria  (Lavras-FIM)

Resultado Geral (Lavras – FIM)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s