Brasileiro de Enduro – Será que agora vai???

Reivindicação feita pelos pilotos

Reivindicação feita pelos pilotos

No final do Campeonato Brasileiro de Enduro de Regularidade de 2013, na cidade de Três Rios, os pilotos se reuniram com o Diretor de Enduro de Regularidade, Alfredo Miranda, e fizeram algumas solicitações a respeito do Campeonato 2014. Alguns erros foram verificados durante o decorrer do campeonato e os pilotos deram algumas sugestões.

Na primeira prova do campeonato 2014, os mesmos problemas voltaram a se repetir. Os pilotos da categoria Master e alguns pilotos de outras categorias, que pretendem fazer o Campeonato Brasileiro, se reuniram e criaram um documento que foi entregue ao Diretor de enduro de Regularidade da CBM, o Alfredo Miranda (cópia acima).

Como até hoje não obtiveram resposta e nem satisfação, uma cópia desse documento foi encaminhada nesta quinta-feira ao presidente da CBM, Sr. Firmo Henrique Alves.  O presidente respondeu prontamente, e disse que neste final de semana acontecerá uma reunião e que após esta reunião os pilotos terão uma resposta aos questionamentos.

Uma das principais reivindicações é sobre o piloto “zero”, que deve sair um minuto antes do primeiro piloto, depois dos pilotos “Abre Trilhas”. O mais engraçado é que isso está previsto no regulamento (no artigo 21, ítem 7), apesar de não ser cumprido:

porteiras

O piloto Emerson Loth, o Bombadinho, teve problemas com porteiras na primeira etapa do Brasileiro deste ano. No post que ele colocou em sua rede social (facebook) relatando o caso, até a noite desta quinta-feira já haviam mais de 180 comentários entre críticas e sugestões.

Na reivindicação feita à CBM, os pilotos sugerem que o piloto “zero”, que deve abrir a prova, use o GPS, para ficar comprovada sua passagem por todos os pontos do percurso. E que no caso de um piloto ser prejudicado por ter que abrir porteiras (provado pelo track do GPS), que se cancele os PC’s imediatamente à frente, em até 1 kms após o ocorrido.

Outra questão levantada pelos pilotos é que os julgamentos de recursos sejam feitos por uma comissão de 5 pessoas, e não pelo Diretor de Prova, que normalmente também é o levantador do percurso. E que os nomes das pessoas desta comissão constem do Regulamento Complementar.

Pedem ainda, que a cada neutro principal tenha alguém da organização que possa examinar possíveis erros de planilha ou então um comissário da CBM percorrendo toda a prova.

O fato é que as queixas contra a organização do Campeonato Brasileiro de Enduro de Regularidade não são recentes. Alguns recursos e questionamentos foram feitos na abertura do campeonato deste ano. Além das porteiras encontradas fechadas, haviam pilotos correndo em categorias que não as suas de origem. Houve ainda recurso por causa de referências erradas e que ficaram comprovadas, através da verificação dos tracks dos pilotos, segundo os pilotos da categoria Master.

Tomara mesmo que nesta reunião da CBM, os nossos dirigentes possam dar a resposta que todos os pilotos querem.

Será que agora vai?

3 comentários sobre “Brasileiro de Enduro – Será que agora vai???

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s